quinta-feira, 4 de abril de 2013

WizTree 1.0.5, descubra «quem» consome o espaço do seu disco


O aumento da capacidade das unidades de alojamento traz consigo, inevitavelmente, um problema que nos afecta a todos, a uns mais a outros menos, isto é, o espaço ocupado pelos mais diverosos ficheiros e pastas de conteúdos que nem sempre temos sob o nosso controlo. Como a informação é poder, e para evitar uma crescente [...]
Fonte: http://pplware.sapo.pt/windows/software/wiztree-1-0-5-descubra-quem-consome-o-espaco-do-seu-disco/

terça-feira, 2 de abril de 2013

Ora2Pg - a chance de você não precisar mais renovar suas licenças de Oracle


O [Ora2Pg http://ora2pg.darold.net/] é um script e um módulo em Perl que, em conjunto (bastando algumas modificações no arquivo //ora2pg.conf// que informa a localização da base Oracle, seu usuário e senha), permitem a migração de bases Oracle para o [PostgreSQL http://www.postgresql.org/]. O...

terça-feira, 26 de março de 2013

Lançado Linux Mint Debian 201303


26-03-2013_cinnamon
Os desenvolvedores do Linux Mint anunciaram no último dia 20, a disponibilidade do Linux Mint Debian 201303, que inclui os ambientes Cinnamon 1.6 e MATE 1.4, entre outras diversas melhorias na interface, pacotes e correção de bugs.
O Linux Mint Debian Edition (LMDE) é uma distribuição GNU/Linux semi-rolling distribution, baseada no Debian Testing. Ela está disponível tanto em
  •  32 quanto em 64-bit como um live DVD com MATE ou Cinnamon, ambos projetos de ambientes gráficos que surgiram através de forks feitos pela própria equipe de desenvolvimento do Linux Mint. O propósito do LMDE é seguir a edição principal do Linux Mint provendo suas mesmas funcionalidades, porém usando o Debian como base. Vale lembrar que o projeto principal do Linux Mint usa o Ubuntu como base.
O LMDE é 100% compatível com os repositórios do Debian Testing.
  • O download desta versão pode ser feita através de torrents:
Outras opções de download podem ser encontradas no post do site oficial.
Com informações de Linux Mint.

Jolidrive – Toda a Cloud numa única interface


A disponibilização de serviços de alojamento de ficheiros em serviços Web veio modificar a forma como interagimos com a Internet e com os nossos ficheiros. Mas a existência de várias ofertas tem levado a que os utilizadores adoptem a estratégia de subscrever o máximo de serviços para assim terem o máximo de espaço disponível. A [...]

segunda-feira, 25 de março de 2013

Faça o download da edição n.43 da Revista Espírito Livre


Enviado por João Fernando Costa Júnior (revistaΘespiritolivre·org):
“Já está disponível a edição 43 da Revista Espírito Livre. Esta edição tem como tema principal “Educação.A seguir trecho do editorial:
Muito se fala do uso do software livre, do opensource e dos padrões abertos em ambientes educacionais e na academia. Muitos casos de sucesso são relatados aos quatro cantos. Até parece fácil implementar uma política de uso de software livre nestes espaços. Mas não é bem assim. E é por esta razão que a edição especial sobre o tema Educação foi lançada. Ao longo de nossos vários anos de caminhada percebemos que ainda existe muito a ser feito. Vários alunos sequer sabem o que é software livre e para que serve. Muitos confundem e associam o acesso ao código fonte com insegurança ou ainda o fato do termo “livre” representar algo como gratuidade. Alguns acham que o fato do software livre ser quase sempre acessado de forma gratuita e construído em grande parte por comunidades e voluntários o torna inferior ou pior que soluções proprietárias. Várias matérias vêm apresentar exatamente o contrário do que muitos pensam ou acham sobre o uso do software livre na educação. Existem desafios sim. Existem dificuldades. Muitos não entendem ou não querem entender. Alguns poucos guerreiros “compram briga”, “vestem a camisa” e erguem a bandeira do software livre nestes espaços de ensino e aprendizagem. Pode ser que para certas pessoas tal situação se assemelhe aos tempos de rebeldia e revoltas estudantis, mas aqui falamos de algo ainda mais complexo. Vivemos em um tempo de lobbies, subornos e pagamento de propinas por parte de grandes empresas para que seus produtos sejam “aceitos mais facilmente” por governos e órgãos.” [referência: revista.espiritolivre.org]

Ubuntu torna-se o sistema operacional oficial da China


18-02-2013_logo-ubuntu
A Canonical, fabricante do Ubuntu, anunciou que estará oficialmente filiada ao governo chinês para trazer um novo sistema operacional baseado no Ubuntu para a população chinesa.
Em um post recente no blog da Canonical, que passou a explicar que o Ubuntu Kylin (o nome oficial do novo sistema operacional) vai muito além de apenas uma versão do Ubuntu com pacotes da língua chinesa instalados. A nota no blog informou:
“O Ubuntu Kylin vai além de localização de idioma e inclui recursos e aplicativos que servem para o mercado chinês. Na versão 13.04, métodos de entrada chineses e calendários chineses estão suportados, há um novo indicador de previsão do tempo, e os usuários podem fazer buscas rapidamente através dos mais populares serviços de música chineses através do Dash.”
Ele não pára por aí: o Ubuntu Kylin será uma versão completamente separada do Ubuntu que é projetada especificamente para o mercado chinês. Bem como o Kubuntu ou Xubuntu, o Ubuntu Kylin terá um desenvolvimento separado do núcleo de desenvolvimento do Ubuntu. O blog continua a dizer …
“Lançamentos futuros incluem a integração com o serviço de mapas do Baidu e o serviço de compras Taobao, processamento de pagamentos para os bancos chineses, e informações em tempo real de trem e voos.
A equipe do Ubuntu Kylin está cooperando com WPS, a suíte de escritório mais popular na China, e está criando ferramentas de edição de fotos e gerenciamento de sistema que poderiam ser incorporados a outros sabores do Ubuntu em todo o mundo.”
Esta é uma grande oportunidade para a Canonical e o Ubuntu como um todo. Nós todos sabemos como a China é enorme, e o fato do governo chinês estar alavancando a criação de um Ubuntu oficial para a população pode ser um excelente e incrível bônus para o mundo Linux.
Com informações de OMG!Ubuntu!

quinta-feira, 21 de março de 2013

Ubuntu Touch e as vantagens do código aberto na portabilidade

Enviado por Daigo Asuka (openwebosbrΘgmail·com):
“Não é novidade o quanto o acesso irrestrito ao código-fonte pode ser importante, fundamental para o desenvolvimento de um software. Há muitos anos já existe o port do Linux para diversos dispositivos e plataformas. Um caso clássico são os novatos querendo baixar a ISO do Debian e ficarem perdidos na quantidade de opções.Na área mobile, Firefox OS e Ubuntu Touch estão se beneficiando muito disso. Só para se ter idéia, o sistema da Canonical, depois de disponibilizar um guia bem objetivo sobre como instalar seu sistema em gadgets não oficiais, alcançou a marca de 34 aparelhos com ROM semi-oficiais, fora outras 22 que já estão na lista de homologação.
Confira essa lista no portal Software Livre Mobile:” [referência: openapps.com.br]